Introdução alimentar (IA) – 6 meses

Decidimos esperar e fazer a introdução de alimentos (IA) aos seis meses, até porque o sistema digestório do bebê antes disso não está preparado fisiologicamente pra receber esses sólidos.

  • Entre 4-6 meses o revestimento interno do intestino do bebê passa por um processo de desenvolvimento chamado fechamento, onde o revestimento se torna mais seletivo sobre o que pode ou não passar. Então é melhor esperar esse desenvolvimento porque assim o bebe não corre risco de introduzir alérgenos no organismo.
  • Sem falar que a criança começa a sentar sem apoio do tronco, já consegue pegar os alimentos e levá-los à boca, passa de uma mão a outra, além de ter a mastigação e deglutição mais coordenada. (Fonte: Pediatria Descomplicada)
  • O início da alimentação precoce pode causar também o desmame, deixando o bebe mais propenso a doenças, principalmente alérgicas, já que ela vai deixar de receber anticorpos precocemente.

O pediatra-padrinho do Gui nos disse que devemos começar com duas papinhas ao dia, uma doce (pela manhã) e outra salgada (almoço).

Até agora demos pela manhã:

  • Banana, maçã, melancia, mamão.

E no almoço:

  • Beterraba, cenoura, abobrinha, batata, chuchu, batata doce, abóbora.

1460598905827

Sempre retiro as sementes.

Sempre retiro as sementes.

Amassei no escorredor de alumínio, por causa dos fiapinhos.

Amassei no escorredor de alumínio, por causa dos fia pinos.

1460403540180

Ainda estamos em falta com isso, falta diferenciar mais, colocar mais, e tentar mais. Eu canso de ver Instagram de algumas mães,  principalmente aquelas de IG famoso, a maravilha que é a introdução , dando a papinha numa boa, filho aceitando tranquilo.. É só com o meu que o bicho pega ?

No início Gui não gostava,  comia uma, duas pitadas de sal e já chorava, resmungava, pedia colo, fazia cara feia, na terceira vez ele já aceitou melhor e daí em diante tá tranquilo dar comida a ele, em questão de aceitação. O negócio é que ele não fica tranquilo comendo, ele quer levantar, colo, pegar em algo, MUITO ativo ele. E aí é que vem minha dificuldade, porque tem vezes que fico sozinha, então a dificuldade aumenta e não quero acostumar o Gui comendo vendo TV, ou brincando com algo, ou se distraindo porque tenho  medo que lá na frente eu não consiga tirar.

Eu realmente não sei da qual é dessas mães perfeitas, porque haja trabalho e paciência pra essa introdução. Dou graças que tenho ajuda de mãe,  noivo.. mas tem vezes que cuido dele a madrugada toda, então “acordo” 7h (porque praticamente não dormi), e aí eu vou preparar a papinha dele, e nem sempre quer ficar quieto no carrinho, e aí ele não tem cadeirinha e tem que dar no colo/sofa/cadeira/chão,  e aí ele sobe no meu colo, ou resmunga ou pega na colher e se meleca todo, e aí dou banho (haja coluna) numa bacia no chão, e aí pra levantar esse menino pra enrolar na toalha, e aí troca ele já com sono se acabando de chorar, e aí é peito pra ele dormir, boto no berço. Quando ele finalmente dorme e vou pro banheiro fazer meu bendito número dois de 1 semana, o menino acorda e quando eu pego era um lindo arroto. Aí eu respiro 603.392.323 vezes, porque eu já tô toda suada, suja de papinha, com fralda de pano pra lavar, e coisas e coisas pra limpar e ninguém vai fazer por mim e tem que fazer né.

Então isso é um pouco da minha realidade com o Guilherme. Tem sido difícil,  maravilhoso e cansativo. Tem dias bons e dias horríveis,  mas passa. E aí precisamos nos controlar e nos segurar porque é normal essa turbulência e esse desafio todo.

Beijo amores

Comenta aqui :)